Centrais sindicais protestam em Feira contra a Reforma da Previdência e Terceirização

Centrais sindicais realizaram uma manifestação na manhã desta sexta-feira (31) pelas ruas de Feira de Santana para protestar contra a Reforma da Previdência e a Terceirização. O professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e membro do fórum de saúde, João Rocha, disse que esperava maior participação da população no protesto.
“A população de Feira de Santana vem enfrentando dificuldades com a greve dos professores da rede municipal, com problemas críticos no transporte coletivo, com a coleta de lixo e o desemprego. Em Feira, a população economicamente ocupada com carteira assinada é muito pequena, e alguns políticos vem dizendo que a terceirização vai gerar emprego, mas sabemos que isso é uma mentira, pois em lugar nenhum do mundo a terceirização gerou emprego. O que gera emprego é o crescimento econômico e distribuição de renda. A terceirização pode criar postos de trabalho precarizados”, afirmou.
Sobre a Reforma da Previdência, o professor afirmou que o Brasil é um dos últimos países do mundo em que a previdência é amarrada à folha de salário. Ele diz que contribuiu durante dez anos com mais de dez salários mínimos como trabalhador da indústria e hoje recebe menos de três.
“Na maior parte dos países ela vem do faturamento das empresas e parte da folha de salário. Os grandes sonegadores, as empresas multinacionais devem milhões à previdência, e o governo deveria cobrar essa dívidas das grandes empresas e aumentar a contribuição. Com o processo de terceirização, as empresas vão demitir a maior parte do pessoal, e os terceirizados deixam de ter prêmio de férias, acesso a planos de saúde, uma série de direitos”, disse.

Postagens mais visitadas deste blog

Serrolândia: Mulher morre envenenada

Arraía du Licuri: 2017 as duas primeiras atrações confirmados.