sábado, 28 de janeiro de 2017

'Sem drogas, bebidas e prostituição', Valdiram busca recomeço pelo Atlântico no Baianão

'Sem drogas, bebidas e prostituição', Valdiram busca recomeço pelo Atlântico no Baianão
Foto: Ulisses Gama / Bahia Notícias

Quem acompanha o futebol brasileiro deve se lembrar de Valdiram, atacante que fez sucesso pelo Vasco da Gama no ano de 2006, quando foi artilheiro da Copa do Brasil. A época com a camisa do "Gigante da Colina" foi o auge do atleta, natural de Canhotinho (PE). "Lá eu pude jogar com Romário, Edílson Capetinha. Eram os melhores do mundo", lembra, saudoso, em entrevista exclusiva ao Bahia Notícias. Após a passagem pelo cruz-maltino, Valdiram sucumbiu diante do mundo das drogas e não conseguiu manter uma grande sequência de jogos na continuidade da carreira. "O Brasil e o mundo souberam do meu problema. Não foi fácil, mas Deus me capacitou para viver uma vida fora de campo com paz", disse. A sua última partida oficial aconteceu no dia 4 de maio de 2013, quando atuou pelo Bonsucesso na Série B do Campeonato Carioca. Quase três anos depois, recuperado de uma cirurgia nos dois joelhos, Valdiram, que hoje tem 34 anos de idade, quer mostrar o seu valor no Campeonato Baiano.


Valdiram fez sucesso pelo Vasco no ano de 2006 | Foto: Gilvan Souza/LANCE!Press

"O importante é que superei os momentos das drogas, desse mundo de escuridão, e agora estou no Atlântico. Me integrei ao grupo e fui muito bem recebido em Salvador, estou fazendo um grande trabalho. Espero fazer um bom campeonato dentro e também fora de campo, dando exemplo para os mais jovens. Tem muito jogador que está no mundo onde eu vivia e não consegue sair. Mas o Valdiram conseguiu. Quem ver o Campeonato Baiano vai ver a recuperação do Valdiram. Voltar a jogar depois de tudo aquilo que eu passei é inexplicável. Graças ao Atlântico e ao presidente Zé Carlos estou tendo essa oportunidade", indicou. A vontade de Valdiram, no entanto, não é só deixar sua marca nos gramados da Bahia. Ele projeta um retorno a um time de expressão nacional e "dar um bom exemplo" aos jovens atletas do seu novo clube. "Tem 15 dias que o grupo vem treinando. Joguei contra o Vitória e aos poucos vou pegando confiança. Aos poucos vou voltando ao futebol que eu tinha. Não desaprendi a jogar. Com certeza vou voltar para um time grande, mas tenho que pensar primeiro no Atlântico. Todos estão surpresos com minha volta e todos vão ficar felizes com minha volta por cima. Muitos não esperavam, mas a realidade é essa. Foi Deus que fez isso na minha vida. Voltei de uma forma diferente: sem bebidas, sem prostituição e sem noite. Quero dar exemplo para os que estão começando no futebol. Que eles não se iludam com o mundo da fama, do carro importado e do dinheiro", pontuou.


Com 34 anos, Valdiram ainda quer atuar em um grande clube | Foto: Ulisses Gama / Bahia Notícias
Valdiram garante que a religiosidade salvou a sua vida. "Passei esse momento difícil, mas em 2011 tive uma oportunidade de me converter na Assembleia de Deus dos Últimos Dias. Foi nessa igreja que conheci minha paz de espírito e consegui me libertar da escuridão. Lá eu pude sentir a presença de Deus. Estou vivo pela misericórdia de Deus", completou. Junto com o Atlântico, Valdiram faz a sua estreia no Campeonato Baiano no próximo domingo (29), às 16h, no estádio Metropolitano de Pituaçu. Relembre um dos gols do atacante pelo Vasco:

Mulher mata marido a facadas e a marretadas no Junco distrito de Jacobina

Por volta das 7:00hs desta quinta-feira, 24, Tiago Ferreira de Araújo, 51 anos, foi assassinado na Rua Herculano Genuário no Junco, distri...