quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Estiagem causa desespero e trabalhadores rurais se dizem abandonados pelo poder público

Rachel Pinto
Seca, o gado morrendo, sem perspectivas de plantio e até água para beber e para o consumo do dia a dia. Essa é a situação de centenas de famílias da zona rural do município de Feira de Santana. Os trabalhadores estão desesperados e reclamam que se sentem abandonados. Os poucos carros-pipa distribuídos pela prefeitura e pelo governo do estado são insuficientes e demoram a chegar.
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade
O pequeno pecuarista Almir Lopes Pereira, da comunidade de Venda Nova, no distrito de Maria Quitéria, relatou para a reportagem do Acorda Cidade o drama que está vivendo. Ele contou que as aguadas estão todas secas e a água dos carros-pipa enviados pela prefeitura é insuficiente. Não há água encanada e nem água para os animais.
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade
“Moro aqui há 42 anos com a minha família. Antigamente era melhor, hoje está pior. Não temos água para nada. O gado temos que levar para Amélia Rodrigues e pagamos o aluguel de pasto para que eles não morram. Aqui no distrito a situação está muito triste e já morreram mais de cem animais. A gente estava cortando mandacaru e dando para eles se alimentarem, mas nem mandacaru tem mais”, lamentou.
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

Mulher mata marido a facadas e a marretadas no Junco distrito de Jacobina

Por volta das 7:00hs desta quinta-feira, 24, Tiago Ferreira de Araújo, 51 anos, foi assassinado na Rua Herculano Genuário no Junco, distri...